Política de Privacidade

Estamos muito satisfeitos com o seu interesse em nossa empresa. A proteção de dados tem uma prioridade muito alta para o gerenciamento do ASTROCOHORS Brasil. O uso dos sites do ASTROCOHORS Brasil é basicamente possível sem qualquer indicação de dados pessoais. No entanto, se uma pessoa afetada deseja usar os serviços especiais da nossa empresa através do nosso site, o processamento de dados pessoais pode ser necessário. Se o processamento de dados pessoais for exigido e não existe base jurídica para esse processamento, geralmente buscamos o consentimento da pessoa em causa.

O processamento de dados pessoais, como o nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone de uma pessoa em causa, está sempre em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados e de acordo com as disposições de proteção de dados específicas do país aplicáveis ​​ao ASTROCOHORS Brasil. Através desta política de privacidade, nossa empresa busca informar o público sobre a natureza, alcance e propósito das informações pessoais que coletamos, usamos e processamos. Além disso, as pessoas em causa são informadas dos seus direitos ao abrigo desta política de privacidade.

O ASTROCOHORS Brasil, como controlador, implementou inúmeras medidas técnicas e organizacionais para garantir a proteção mais completa dos dados pessoais processados ​​através deste site. No entanto, as transmissões de dados baseadas na Internet geralmente podem ter buracos de segurança, de modo que a proteção absoluta não pode ser garantida. Por esta razão, toda pessoa em questão pode nos enviar dados pessoais de maneira alternativa, por exemplo por Telefone.

1. Definições
A Política de Privacidade da DP3 é baseada na terminologia utilizada pela Autoridade Reguladora Europeia ao emitir o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR). Nossa política de privacidade deve ser fácil de ler e entender tanto para o público como para nossos clientes e parceiros de negócios. Para garantir isso, gostaríamos de explicar com antecedência a terminologia utilizada.
Usamos os seguintes termos nesta política de privacidade, incluindo mas não limitado a:

• a) dados pessoais
Dados pessoais significa qualquer informação relativa a uma pessoa singular identificada ou identificável (a seguir designada “pessoa em causa”). Considera-se que uma pessoa singular é identificável que, direta ou indiretamente, em particular por associação com um identificador, como um nome, um número de identificação, dados de localização, um identificador on-line ou uma ou mais características especiais, expressa as características físicas, fisiológicas, A identidade genética, mental, econômica, cultural ou social desta pessoa natural pode ser identificada.

• b) pessoa afetada
A pessoa afetada é qualquer pessoa singular identificada ou identificável cujos dados pessoais são processados ​​pelo controlador.

• c) processamento
O processamento significa qualquer processo ou série de operações relacionadas a dados pessoais, tais como colecionar, colecionar, organizar, organizar, armazenar, adaptar ou modificar, ler, consultar, usar, com ou sem o auxílio de procedimentos automatizados; divulgação por apresentação, divulgação ou outra forma de provisão, reconciliação ou associação, restrição, apagamento ou destruição.

• d) limitação de processamento
A restrição do processamento é a marcação de dados pessoais armazenados com o objetivo de limitar seu processamento futuro.

• e) perfilamento
O perfil é qualquer tipo de processamento automatizado de dados pessoais que consiste em usar essa informação pessoal para avaliar certos aspectos pessoais relacionados a uma pessoa física, em aspectos específicos relacionados ao desempenho do trabalho, situação econômica, saúde, pessoal Para analisar ou prever preferências, interesses, confiabilidade, comportamento, paradeiro ou deslocalização dessa pessoa física.

• f) Pseudonimização
A pseudonização é o processamento de dados pessoais de forma que os dados pessoais não possam mais ser atribuídos a uma pessoa em questão específica, sem a necessidade de informações adicionais, desde que tais informações adicionais sejam mantidas separadas e sujeitas a medidas técnicas e organizacionais para garantir que os dados pessoais não atribuído a uma pessoa singular identificada ou identificável.

• g) controlador ou controlador
O controlador ou controlador é a pessoa singular ou jurídica, autoridade pública, corpo ou corpo que, sozinho ou em conjunto com outros, decide sobre os propósitos e meios de processamento de dados pessoais. Quando os fins e os meios desse tratamento forem determinados pelo direito da União ou pela legislação dos Estados-Membros, o responsável pelo tratamento ou os critérios específicos para a sua designação podem ser previstos nos termos da legislação da União ou do direito nacional.

• h) processador
O processador é uma pessoa física ou jurídica, autoridade pública, agência ou outro órgão que processa dados pessoais em nome do controlador.

• i) destinatário
O destinatário é uma pessoa física ou jurídica, agência, agência ou outra entidade a quem os Dados Pessoais são divulgados, seja ou não um terceiro. No entanto, as autoridades que podem receber dados pessoais nos termos da legislação da União ou do direito nacional em relação a uma determinada missão não são consideradas beneficiárias.

• j) terceiros
Terceiro é uma pessoa física ou jurídica, autoridade pública, corpo ou corpo que não seja a pessoa em causa, o controlador, o processador e as pessoas autorizadas sob a responsabilidade direta do controlador ou do processador para processar os dados pessoais.

• k) consentimento
O consentimento é voluntariamente dado e inequivocamente expresso sob a forma de uma declaração ou outro ato de confirmação inequívoco pela pessoa em causa para o caso particular, pelo qual a pessoa em causa indica que eles concordam com o processamento dos dados pessoais relativos a ele / ela é.

2. Nome e endereço do controlador
A pessoa responsável na acepção do Regulamento geral de protecção de dados, outras leis de protecção de dados nos Estados-Membros da União Europeia e outras disposições de um carácter de protecção de dados é:

ASTROCOHORS Brasil é uma divisão de PHAN.PRO – Das Phantastische Projekt
Am alten Spital 8
88630 Pfullendorf
Alemanha
Tel.: 0 75 52 / 209.401
E-mail: info@astrocohors.com
Website: br.astrocohors.com

3. Cookies
Os sites do ASTROCOHORS Brasil usam cookies. Os cookies são arquivos de texto que são armazenados e armazenados em um sistema de computador através de um navegador de internet.
Muitos sites e servidores usam cookies. Muitos cookies contêm um chamado ID de cookie. Um ID de cookie é um identificador exclusivo do cookie. Consiste em uma string através da qual as páginas e servidores da Internet podem ser atribuídos ao navegador da Internet específico no qual o cookie foi armazenado. Isso permite que os sites e servidores visitados distinguem o navegador do usuário de outros navegadores da Internet que contenham outros cookies. Um determinado navegador da Web pode ser reconhecido e identificado pela ID exclusiva de cookies.
Ao usar cookies, o DP3 pode fornecer aos usuários desse site mais serviços fáceis de usar que não seriam possíveis sem cookies.
Por meio de um cookie, as informações e ofertas em nosso site podem ser otimizadas no sentido do usuário. Os cookies nos permitem, como já mencionado, reconhecer os usuários do nosso site. O objetivo deste reconhecimento é tornar mais fácil para os usuários usar nosso site. Por exemplo, o usuário de um site que usa cookies não precisa inserir novamente suas credenciais sempre que visitam o site, pois isso é feito pelo site e o cookie armazenado no sistema de computador do usuário. Outro exemplo é o cookie de uma cesta de compras na loja online. A loja online lembra os itens que um cliente colocou no carrinho de compras virtual através de um cookie.
A pessoa em causa pode impedir a configuração de cookies através do nosso site a qualquer momento por meio de uma configuração correspondente do navegador da Internet usado e, portanto, contradizer permanentemente a configuração de cookies. Além disso, os cookies já configurados podem ser excluídos a qualquer momento através de um navegador de internet ou outros programas de software. Isso é possível em todos os navegadores de internet comuns. Se o sujeito de dados desativar a configuração de cookies no navegador de Internet usado, nem todas as funções do nosso site podem ser totalmente utilizáveis.

4. Coleta de dados e informações gerais
O site da ASTROCOHORS Brasil coleta uma série de dados e informações gerais cada vez que o site é acessado por uma pessoa afetada ou por um sistema automatizado. Estes dados e informações gerais são armazenados nos arquivos de log do servidor. pode ser detectado (1) tipos de navegadores usados ​​e versões, (2) o sistema operacional de acessar o sistema, (3) o site a partir do qual um sistema de acesso ao nosso web passa (chamado de referência), (4) os sub-sites que na (5) a data e hora de acesso ao site, (6) um endereço de protocolo da Internet (endereço IP), (7) o provedor de serviços de internet do sistema de acesso e (8) outros dados e informações similares utilizados em caso de ataques a nossos sistemas de tecnologia da informação.
Ao usar esses dados e informações gerais, o DP3 não tira conclusões sobre a pessoa em questão. Esta informação é bastante necessário para (1) entregar o conteúdo do nosso site corretamente, (2) para melhorar o conteúdo do nosso site e da publicidade deles para garantir (3) o funcionamento contínuo dos nossos sistemas de tecnologia da informação e da tecnologia do nosso site, bem como ( 4) fornecer às autoridades responsáveis ​​pela aplicação da lei as informações necessárias para a aplicação da lei no caso de um ataque cibernético. Esses dados anônimos coletados e informações é, portanto, um lado estatisticamente e mais avaliadas pela DP3 com o objectivo de aumentar a privacidade e segurança de dados em nossa empresa para garantir em última análise, um nível óptimo de protecção dos dados pessoais tratados por nós. Os dados anônimos dos arquivos de log do servidor são armazenados separadamente de todos os dados pessoais fornecidos por uma pessoa afetada.

5. Assinatura de nossa newsletter
No site ASTROCOHORS Brasil, os usuários têm a oportunidade de se inscrever no boletim informativo da nossa empresa. Quais dados pessoais são transmitidos ao controlador de dados quando o boletim informativo é pedido resultados da máscara de entrada utilizada para este propósito.
A ASTROCOHORS Brasil informa aos seus clientes e parceiros de negócios a intervalos regulares por meio de um boletim informativo sobre as ofertas da empresa. O boletim da nossa empresa pode, basicamente, ser apenas recebido pela pessoa em causa, se (1) a pessoa tem um endereço de e-mail válido e (2) a pessoa registada para o envio de newsletters. Por razões legais, um e-mail de confirmação será enviado para o endereço de e-mail inserido pela pessoa afetada pela primeira vez para o envio de boletins informativos usando o procedimento de dupla opt-in. Este e-mail de confirmação serve para verificar se o proprietário do endereço de e-mail como pessoa em questão autorizou o recebimento da newsletter.
Ao se inscrever no boletim informativo, também armazenamos o endereço IP do sistema informático utilizado pelo interessado no momento do registro, bem como a data e hora de registro, conforme atribuído pelo Provedor de Serviços de Internet (ISP). A coleta desses dados é necessária para entender o (possível) uso indevido do endereço de e-mail de uma pessoa afetada em uma data posterior e, portanto, serve como salvaguardas legais para o controlador.
Os dados pessoais coletados no contexto do registro do boletim serão utilizados exclusivamente para enviar nossa newsletter. Além disso, os assinantes da newsletter podem ser notificados por e-mail se isso for necessário para a operação do serviço de boletim ou registro, como pode ser o caso no caso de mudanças na newsletter ou mudanças técnicas. Não haverá transferência de dados pessoais coletados como parte do serviço de boletim para terceiros. A assinatura da nossa newsletter pode ser encerrada pelo interessado a qualquer momento. O consentimento para o armazenamento de dados pessoais que a pessoa em causa nos forneceu para o envio da newsletter pode ser revogado a qualquer momento. Para revogar o consentimento, existe um link correspondente em cada boletim informativo. Também é possível cancelar a inscrição na newsletter a qualquer momento, diretamente no site do controlador, ou para informar o controlador de uma maneira diferente.

6. Boletim informativo
Os boletins informativos do ASTROCOHORS Brasil contêm os chamados pixels de contagem. Um pixel de contagem é um gráfico em miniatura incorporado em e-mails que são enviados em formato HTML para permitir a gravação de arquivos de log e a análise de arquivos de log. Isso permite uma avaliação estatística do sucesso ou falha das campanhas de marketing on-line. Com base no pixel incorporado, o ASTROCOHORS Brasil pode detectar se e quando um e-mail foi aberto por uma pessoa afetada e os links no e-mail foram chamados pela pessoa em questão.
Tais dados pessoais coletados através dos pixels de contagem contidos nos boletins informativos são armazenados e avaliados pelo controlador, a fim de otimizar a entrega do boletim informativo e para melhor adaptar o conteúdo dos futuros boletins informativos aos interesses da pessoa em causa. Estes dados pessoais não serão divulgados a terceiros. As pessoas afetadas são, em qualquer momento, habilitadas a revogar a declaração separada de consentimento emitida através do procedimento de dupla opt-in. Após a revogação, esses dados pessoais serão excluídos pelo controlador. Um cancelamento do recibo da newsletter, o DP3 indica automaticamente a revogação.

7. Função de comentário no blog no site
O ASTROCOHORS Brasil oferece aos usuários a oportunidade de deixar comentários individuais em postagens de blog individuais em um blog localizado no site do controlador. Um blog é um portal baseado na web, geralmente acessível ao público, no qual uma ou mais pessoas, chamadas de blogueiras ou blogueiras na web, podem publicar artigos ou escrever pensamentos nas chamadas postagens de blog. As postagens de blog geralmente podem ser comentadas por terceiros.
Se uma pessoa afetada deixar um comentário no blog publicado neste site, não apenas os comentários deixados pela pessoa em questão, mas também informações sobre a hora da entrada do comentário e o nome de usuário (pseudônimo) escolhido pela pessoa em questão são armazenados e publicados. Além disso, o endereço IP atribuído pelo provedor de serviços de Internet (ISP) do sujeito de dados também é registrado. Este armazenamento do endereço IP é feito por motivos de segurança e no caso de o sujeito de dados violar os direitos de terceiros ou publicar conteúdos ilegais enviando um comentário. O armazenamento de tais dados pessoais é, portanto, do próprio interesse do controlador, para que ele possa exculpar em caso de violação. Não há divulgação desses dados pessoais para terceiros, a menos que tal divulgação não seja exigida por lei ou a defesa legal do controlador.

8. Assine os comentários no blog no site
Os comentários feitos no blog do ASTROCOHORS Brasil podem ser basicamente subscritos por terceiros. Em particular, existe a possibilidade de um comentarista se inscrever nos comentários após um comentário em uma postagem de blog específica.
Se uma pessoa afetada decidir subscrever a opção de comentar, o controlador enviará um e-mail de confirmação automático para verificar novamente se o proprietário do endereço de e-mail especificado para essa pessoa está realmente verificando o e-mail A opção foi decidida. A opção de subscrever os comentários pode ser encerrada a qualquer momento.

9. Eliminação de rotina e bloqueio de dados pessoais
O controlador deve processar e armazenar os dados pessoais da pessoa em causa apenas pelo período necessário para alcançar o objetivo da armazenagem ou, conforme o caso, pelas diretrizes ou regulamentos europeus ou por qualquer outro legislador em leis ou regulamentos que o controlador foi providenciado.
Se o propósito de armazenamento for omitido ou se um prazo de armazenamento prescrito pelas diretrizes e regulamentos europeus ou qualquer outro legislador relevante expirar, os dados pessoais serão rotineiramente bloqueados ou excluídos de acordo com as disposições legais.

10. Direitos da pessoa em causa
• a) Direito à confirmação
Cada pessoa em causa tem o direito, conforme concedido pelos reguladores e reguladores europeus, exigir que o controlador confirme se os dados pessoais relativos a ele estão sendo processados. Se uma pessoa afetada deseja usar este direito de confirmação, eles podem entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro funcionário do controlador a qualquer momento.

• b) Direito à informação
Qualquer pessoa preocupada com o tratamento de dados pessoais deve ter o direito concedido pela Autoridade Reguladora e Reguladora Europeia em qualquer momento para obter dos dados do controlador sobre os dados pessoais armazenados em sua pessoa e uma cópia dessas informações gratuitamente. Além disso, o legislador e regulador europeu forneceu à pessoa em causa a seguinte informação:
◦ os fins de processamento
Kategorien as categorias de dados pessoais em processamento
Empfänger os destinatários ou categorias de destinatários a quem os dados pessoais foram divulgados ou ainda estão sendo divulgados, em particular aos destinatários em países terceiros ou a organizações internacionais
◦ se possível, a duração prevista para a qual os dados pessoais serão armazenados ou, se não for possível, os critérios para determinar essa duração
◦ o direito de rectificação ou apagamento dos dados pessoais relativos a eles, ou a limitação do processamento ou o direito de se opor a esse processamento pelo controlador
◦ a existência de um direito de recurso a uma autoridade de supervisão
◦ se os dados pessoais não forem coletados da pessoa em questão: todas as informações disponíveis sobre a fonte dos dados
◦ a existência de tomada de decisão automatizada, incluindo o perfil, nos termos dos n.ºs 1 e 4 do artigo 22.º do Regulamento DSBER e, pelo menos nestes casos, informações significativas sobre a lógica envolvida e o alcance e o impacto pretendido desse tratamento na pessoa em causa
Além disso, a pessoa em causa tem direito de acesso a dados pessoais transmitidos a um país terceiro ou a uma organização internacional. Se for esse o caso, a pessoa em causa tem o direito de obter informações sobre as garantias apropriadas em conexão com a transferência.
Se uma pessoa afetada deseja exercer esse direito à informação, pode entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro funcionário do controlador a qualquer momento.

• c) direito à rectificação
Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito concedido pelo legislador europeu para exigir a correcção imediata de dados pessoais imprecisos sobre ele / ela. Além disso, a pessoa em causa tem o direito de solicitar a conclusão de dados pessoais incompletos, inclusive por meio de uma declaração complementar, levando em consideração os fins do processamento.
Se uma pessoa afetada deseja exercer esse direito de rectificação, pode entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro membro do controlador de dados a qualquer momento.

• d) Direito ao cancelamento (direito a ser esquecido)
Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais deve ter o direito concedido pelas directivas e reguladores europeias para exigir que o controlador suprima imediatamente os dados pessoais que lhe dizem respeito, desde que um dos seguintes motivos esteja preenchido e o processamento não seja exigido:
◦ Os dados pessoais foram coletados para esses fins ou processados ​​de outra forma para os quais não são mais necessários.
◦ A pessoa em causa retira o consentimento em que o processamento foi baseado em conformidade com o Artigo 6 (1) (a) do GDPR ou o Artigo 9 (2) (a) do GDPR e não possui qualquer outra base jurídica para o processamento.
◦ A pessoa em causa apresenta uma objeção ao processamento nos termos do Art. 21 (1) DS-GVO, e não há motivos legítimos para o processamento, ou os recursos de assunto em questão de acordo com o Artigo 21 (2) DS-GVO o processamento.
◦ Os dados pessoais foram processados ​​ilegalmente.
◦ A supressão de dados pessoais é necessária para cumprir uma obrigação legal de acordo com a legislação da União ou nacional, à qual o controlador está sujeito.
◦ Os dados pessoais foram coletados em relação aos serviços da sociedade da informação oferecidos de acordo com o Art. 8, parágrafo 1 DS-GVO.
Se algum dos motivos acima for correto e uma pessoa afetada desejar providenciar a eliminação de dados pessoais armazenados em ASTROCOHORS Brasil, eles podem, a qualquer momento, entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro dos funcionários do controlador de dados. O oficial de proteção de dados da ASTROCOHORS Brasil ou outro funcionário providenciará que o pedido de exclusão seja preenchido imediatamente.
Se os dados pessoais tiverem sido divulgados pela ASTROCOHORS Brasil e se nossa empresa for responsável pela exclusão de dados pessoais como pessoa responsável nos termos do Art. 17 (1) do GDPR, a DP3 deve tomar as medidas adequadas, inclusive as técnicas, levando em consideração a tecnologia disponível e os custos de implementação a fim de informar outros controladores de dados que processam os dados pessoais publicados que a pessoa em causa solicitou a exclusão de todos os links para tais dados pessoais ou cópias ou replicações desses dados pessoais desses outros controladores de dados a menos que o processamento seja necessário. O oficial de proteção de dados da ASTROCOHORS Brasil ou outro funcionário providenciará o necessário em casos individuais.

• e) Direito à restrição do processamento
Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela directiva europeia e autoridade reguladora, exigir que o controlador restrinja o processamento se uma das seguintes condições se aplica:
◦ A precisão dos dados pessoais é contestada pela pessoa em causa por um período de tempo que permite ao controlador verificar a precisão dos dados pessoais.
◦ O processamento é ilegal, o sujeito de dados se recusa a excluir os dados pessoais e, em vez disso, solicita a restrição do uso de dados pessoais.
◦ O controlador não precisa mais dos dados pessoais para fins de processamento, mas a pessoa em questão exige que afirme, exerça ou defenda seus direitos.
◦ A pessoa em causa se opôs ao processamento de acordo com Art. 21, parágrafo 1, DS-GVO, e ainda não está claro se os motivos legítimos da pessoa responsável superam os da pessoa em questão.
Se uma das condições acima é cumprida e um sujeito de dados deseja solicitar a restrição de dados pessoais detidos pela ASTROCOHORS Brasil, eles podem, em qualquer momento, entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro dos funcionários do controlador de dados. O oficial de proteção de dados da DP3 ou outro funcionário iniciará a restrição do processamento.

• f) Transferibilidade de dados
Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais deve ter o direito conferido pelas directivas e regulamentos europeus para obter os dados pessoais que lhe são fornecidos a um controlador pela pessoa em causa, num formato estruturado, comum e legível por máquina. Também tem o direito de transferir esses dados para outra pessoa responsável sem impedimento pelo responsável pelo controle a quem os dados pessoais foram fornecidos, desde que o processamento seja baseado no consentimento nos termos do artigo 6.o, no 1, alínea a), do GDPR ou do artigo 9.o, no 1, alínea b) 2 (a) do GDPR ou em um contrato de acordo com o Artigo 6 (1) (b) do GDPR e processamento por meio de processos automatizados, a menos que o processamento seja necessário para o desempenho de uma tarefa de interesse público ou no exercício da autoridade pública, que foi atribuído à pessoa responsável.
Além disso, no exercício do seu direito à portabilidade de dados nos termos do n.º 1 do artigo 20.º do GDPR, a pessoa em causa tem o direito de obter que os dados pessoais sejam transmitidos directamente de um controlador para outro, na medida em que isto seja tecnicamente viável e, se assim for, Isso não afeta os direitos e as liberdades de terceiros.
Para afirmar o direito à portabilidade de dados, a pessoa em causa pode, em qualquer momento, entrar em contato com os DPO designados pela ASTROCOHORS Brasil ou outro colega de trabalho.

• g) Direito de objeto
Qualquer pessoa interessada no tratamento de dados pessoais deve ter o direito conferido pela directiva europeia e autoridade reguladora a qualquer momento, por razões decorrentes da sua situação particular, contra o tratamento de dados pessoais a ela relacionados nos termos do artigo 6.o, no 1, alínea e) ou f DS-GVO toma uma objeção. Isso também se aplica ao perfil com base nessas disposições.
O ASTROCOHORS Brasil deixará de processar seus dados pessoais em caso de objeção, a menos que possamos demonstrar motivos legítimos e legítimos para o processamento que excedam os interesses, os direitos e as liberdades da pessoa em causa, ou o processamento seja para fins de afirmar, exercer ou defender reivindicações legais.
Se a ASTROCOHORS Brasil processar dados pessoais para operar o correio direto, a pessoa em causa tem o direito de se opor, a qualquer momento, ao processamento de dados pessoais para fins de publicidade. Isso também se aplica ao perfil, na medida em que está associado a esse correio direto. Se o sujeito de dados se opuser à ASTROCOHORS Brasil para fins de marketing direto, a ASTROCOHORS Brasil não processará mais os dados pessoais para esses fins.
Além disso, a pessoa em causa tem o direito, por razões decorrentes da sua situação particular, contra o tratamento de dados pessoais que lhe digam respeito, para fins de investigação científica ou histórica ou para fins estatísticos nos termos do n.º 1 do artigo 89.º DS-BER objeção, a menos que tal processamento seja necessário para cumprir uma tarefa de interesse público.
Para exercer o direito de objeção, a pessoa em causa pode entrar em contato direto com o agente de proteção de dados ASTROCOHORS Brasil ou com outro colega de trabalho. A pessoa em causa também é livre, no contexto da utilização dos serviços da sociedade da informação, não obstante a Directiva 2002/58 / CE, exercer o seu direito de oposição através de procedimentos automatizados que utilizem especificações técnicas.

• h) decisões automatizadas caso a caso, incluindo o perfil
Qualquer pessoa preocupada com o tratamento de dados pessoais deve ter o direito, conforme concedido pelo legislador europeu e pelo legislador, de não ser sujeito a uma decisão baseada unicamente no processamento automatizado, incluindo o perfil, que tenha um efeito legal sobre ele ou, de forma semelhante, o afecte significativamente; a menos que a decisão (1) seja necessária para a celebração ou a execução de um contrato entre a pessoa em causa e o controlador, ou (2) permitido pela legislação da União ou do Estado-Membro a que o controlador esteja sujeito, e essa legislação prevê medidas adequadas para salvaguardar os direitos e liberdades, bem como os interesses legítimos da pessoa em causa, ou (3) com o consentimento expresso da pessoa em causa.
Se a decisão (1) for necessária para concluir ou cumprir um contrato entre a pessoa em causa e o responsável pelo tratamento ou (2), é feita com o consentimento expresso da pessoa em causa, a ASTROCOHORS Brasil deve tomar as medidas adequadas para salvaguardar os direitos e liberdades e interesses legítimos a pessoa em causa, incluindo pelo menos o direito de obter a intervenção de uma pessoa pelo controlador, para expressar o seu próprio cargo e contestar a decisão.
Se o sujeito da informação deseja impor direitos de tomada de decisão automatizados, eles podem entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro controlador de dados a qualquer momento.

• i) Direito de revogar um consentimento de proteção de dados
Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela directiva europeia e autoridade reguladora, revogar o consentimento para o processamento de dados pessoais a qualquer momento.
Se o sujeito da informação desejar afirmar seu direito de retirar o seu consentimento, eles podem, em qualquer momento, entrar em contato com nosso agente de proteção de dados ou outro funcionário do controlador.

11. Base jurídica do processamento
Art. 6 I lit. Um DS-OGM serve a nossa empresa como base jurídica para o processamento de operações em que obtemos o consentimento para um propósito de processamento específico. Se o processamento de dados pessoais for necessário para a execução de um contrato ao qual a pessoa em causa seja parte, como é o caso, por exemplo, no processamento de operações necessárias para o fornecimento de bens ou a prestação de qualquer outro serviço ou consideração, o processamento deve basear-se em Art. 6 I lit. b DS-OGM. O mesmo se aplica às operações de processamento necessárias para a realização de medidas pré-contratuais, por exemplo, em casos de consultas sobre nossos produtos ou serviços. Se nossa empresa estiver sujeita a uma obrigação legal que exija o processamento de dados pessoais, como o cumprimento de obrigações tributárias, o processamento é baseado no Art. 6 I iluminado. c DS-OGM. Em casos raros, o processamento de dados pessoais pode ser necessário para proteger os interesses vitais da pessoa em causa ou outra pessoa natural. Este seria o caso, por exemplo, se um visitante de nossas instalações fosse ferido e seu nome, idade, seguro de saúde ou outra informação vital teria que ser transmitida a um médico, hospital ou outro terceiro. Em seguida, o processamento seria baseado no Art. 6 I iluminado. d DS-OGM são baseados. Em última análise, as operações de processamento podem ser baseadas no Art. 6 I iluminado. f DS-OGMs são baseados. Nesta base legal, as operações de processamento que não são cobertas por nenhuma das bases jurídicas acima são necessárias se o processamento for necessário para salvaguardar os interesses legítimos da nossa empresa ou de um terceiro, a menos que os interesses, direitos fundamentais e liberdades fundamentais da pessoa em questão prevalecem. Tais operações de processamento são particularmente permitidas porque foram especificamente mencionadas pelo legislador europeu. A este respeito, considerou que um interesse legítimo poderia ser assumido se a pessoa em causa for um cliente do controlador (considerando 47, segunda frase, DS-BER).

12. Interesses qualificados no processamento que estão sendo perseguidos pelo controlador ou por um terceiro
O processamento de dados pessoais com base no artigo 6º I acende. O DS-GMO é nosso interesse legítimo em realizar nossos negócios em benefício de todos os nossos funcionários e nossos acionistas.

13. Duração durante a qual os dados pessoais são armazenados
O critério para a duração do armazenamento de dados pessoais é o respectivo período de retenção legal. Após o prazo, os dados correspondentes serão excluídos rotineiramente, se já não forem necessários para cumprir o contrato ou para iniciar um contrato.

14. Disposições legais ou contratuais para o fornecimento de dados pessoais; Necessidade para a conclusão do contrato; Obrigação da pessoa em causa fornecer os dados pessoais; possíveis consequências da não provisão
Esclarecemos que a provisão de informações pessoais é em parte exigida por lei (como regulamentos fiscais) ou pode resultar de acordos contratuais (como detalhes do contratante). Ocasionalmente, pode ser necessário que um contrato seja concluído que uma pessoa afetada nos fornece dados pessoais que devem ser posteriormente processados ​​por nós. Por exemplo, a pessoa em causa é obrigada a fornecer-nos informações pessoais quando nossa empresa conclui contrato com ela. A falta de fornecer dados pessoais significaria que o contrato com a pessoa em questão não poderia ser fechado. Antes que a pessoa em questão tenha fornecido a pessoa em causa, a pessoa em questão deve entrar em contato com nosso agente de proteção de dados. O nosso agente de protecção de dados informará a pessoa em causa, caso a caso, se a prestação dos dados pessoais é exigida por lei ou contrato ou é necessária para a celebração do contrato, se existe a obrigação de fornecer os dados pessoais e qual seria a consequência da não provisão dos dados pessoais.

15. Existência de tomada de decisão automatizada
Como uma empresa responsável, abster-nos de tomar decisões ou perfis automáticos.

 

Esta política de privacidade foi reciclada pelo gerador da declaração de privacidade da DGD Deutsche Gesellschaft für Datenschutz GmbH, que atua como agente externo de proteção de dados, em cooperação com RC GmbH, o computador usado eo escritório de advocacia WILDE BEUGER SOLMECKE | Advogados criados.